terça-feira, 19 de julho de 2011

Poema: Recordar o passado deste novo barracão do sal | Autoria: Antónia Rodrigues e D.ª Laurinda | Montemor-o-Velho

Foi hoje aqui recordado,
algo de tradicional:
uma réplica do passado,
Antigo Barracão do sal
Rio acima, barco à vela,
p´ra chegar a todos nós;
assim era transportado,
sal da Figueira da Foz.
Quando não havia vento,
então é que era pior!
navegavam à cirga e vara,
com muito esforço e suor.
à vela, à cirga e à vara,
debaixo de sol e frio;
assim os homens faziam,
o barco subir o rio.
E quando pró fim chegavam, não podiam descansar;
a viagem terminava,
mas tinham de descarregar.
Aí, já tinham ajuda,
as mulheres os esperavam;
com cestas à cabeça, assim o armazenavam.
O Casal Novo do Rio,
regista com simpatia;
a bonita iniciativa,
da Junta de Freguesia.

Barracão de Sal inaugurado na Festa do Barquense

“Esta é mais uma homenagem às tradições da freguesia e uma forma que a Junta de Freguesia de Montemor-o-Velho encontrou para perpetuar a memória e as vivências de uma localidade que esteve, desde sempre, ligada e em comunhão com o rio”, referiu António Pardal no início da cerimónia de inauguração.
“Esta é mais uma homenagem às tradições da freguesia e uma forma que a Junta de Freguesia de Montemor-o-Velho encontrou para perpetuar a memória e as vivências de uma localidade que esteve, desde sempre, ligada e em comunhão com o rio”, referiu António Pardal no início da cerimónia de inauguração.
Para o Presidente da Junta, “a reconstrução desta estrutura vai permitir ser também mais um ponto de interesse para quem nos visita, mas, sobretudo, pretende-se que seja, igualmente, um espaço de descoberta e que possa ser visitado pelos mais novos”.
Na ocasião, o presidente da Câmara, Luís Leal, saudou a iniciativa e lembrou “o dinamismo da junta de freguesia e a preocupação e trabalho efectuado em defesa do património cultural e imaterial da freguesia”.
Na presença de muitos populares, e após a cerimónia de inauguração – com a bênção do Barracão do Sal, o descerramento da placa e a leitura do poema “Recordar o passado deste novo barracão do sal” – do dia continuou com um almoço convívio, muita música, dança e com os já tradicionais momentos de homenagem aos barquenses mais novos e aos mais jovens (todos com mais de 75 anos).
Organizada com a colaboração de todos os habitantes – mas sob a orientação dos mordomos Abílio Camarneiro, Paulo Ferraz e Antónia Rodrigues – a festa procurou, uma vez mais, ser um momento para recordar as histórias de antigamente, com muito convívio e animação.
Depois de 16 anos de interregno, a 5ª edição da Festa do Barquense voltou a confirmar o sucesso da iniciativa e a vontade de a fazer regressar no próximo ano.

Sem comentários: