sábado, 30 de julho de 2011

"5 Sentidos do Sal": o prazer de caminhar sobre os limos dos talhos - Casa do Sal da Figueira da Foz em 30 de Julho de 2011

 clique nas fotos para ampliar





sexta-feira, 29 de julho de 2011

Integrado na Festa da Comunidade Lavoense 2011: Feira à Moda Antiga (ver programa da Festa à Moda Antiga)


Local: Parque de Estacionamento de Armazéns de Lavos

Programa

10h30: 
Abertura da Feira
Compra e venda de produtos
Música
Folclore

00h00
Encerramento

aGOSTO com sabor a sal | Núcleo Museológico do Sal da Figueira da Foz 2011 (Museu do Sal da Figueira da Foz), Portugal

 clique nas imagens para ampliar
 A Casa do Sal da Figueira da Foz participa nas Comemorações do Aniversário do Núcleo Museológico do Sal da Figueira da Foz (Museu do Sal), no dia 17 de Agosto de 2011


Diário de Notícias de 29-07-2011: Casa do Sal da Figueira da Foz no artigo "As cores do "Bazófias"

 



A Casa do Sal participa na Feira à Moda Antiga, no dia 31 de Julho de 2011, em Armazéns de Lavos, Figueira da Foz, Portugal | Programa

Local: Parque de Estacionamento de Armazéns de Lavos

Programa

10h30: 
Abertura da Feira
Compra e venda de produtos
Música
Folclore

00h00
Encerramento



terça-feira, 19 de julho de 2011

Poema: Recordar o passado deste novo barracão do sal | Autoria: Antónia Rodrigues e D.ª Laurinda | Montemor-o-Velho

Foi hoje aqui recordado,
algo de tradicional:
uma réplica do passado,
Antigo Barracão do sal
Rio acima, barco à vela,
p´ra chegar a todos nós;
assim era transportado,
sal da Figueira da Foz.
Quando não havia vento,
então é que era pior!
navegavam à cirga e vara,
com muito esforço e suor.
à vela, à cirga e à vara,
debaixo de sol e frio;
assim os homens faziam,
o barco subir o rio.
E quando pró fim chegavam, não podiam descansar;
a viagem terminava,
mas tinham de descarregar.
Aí, já tinham ajuda,
as mulheres os esperavam;
com cestas à cabeça, assim o armazenavam.
O Casal Novo do Rio,
regista com simpatia;
a bonita iniciativa,
da Junta de Freguesia.

Barracão de Sal inaugurado na Festa do Barquense

“Esta é mais uma homenagem às tradições da freguesia e uma forma que a Junta de Freguesia de Montemor-o-Velho encontrou para perpetuar a memória e as vivências de uma localidade que esteve, desde sempre, ligada e em comunhão com o rio”, referiu António Pardal no início da cerimónia de inauguração.
“Esta é mais uma homenagem às tradições da freguesia e uma forma que a Junta de Freguesia de Montemor-o-Velho encontrou para perpetuar a memória e as vivências de uma localidade que esteve, desde sempre, ligada e em comunhão com o rio”, referiu António Pardal no início da cerimónia de inauguração.
Para o Presidente da Junta, “a reconstrução desta estrutura vai permitir ser também mais um ponto de interesse para quem nos visita, mas, sobretudo, pretende-se que seja, igualmente, um espaço de descoberta e que possa ser visitado pelos mais novos”.
Na ocasião, o presidente da Câmara, Luís Leal, saudou a iniciativa e lembrou “o dinamismo da junta de freguesia e a preocupação e trabalho efectuado em defesa do património cultural e imaterial da freguesia”.
Na presença de muitos populares, e após a cerimónia de inauguração – com a bênção do Barracão do Sal, o descerramento da placa e a leitura do poema “Recordar o passado deste novo barracão do sal” – do dia continuou com um almoço convívio, muita música, dança e com os já tradicionais momentos de homenagem aos barquenses mais novos e aos mais jovens (todos com mais de 75 anos).
Organizada com a colaboração de todos os habitantes – mas sob a orientação dos mordomos Abílio Camarneiro, Paulo Ferraz e Antónia Rodrigues – a festa procurou, uma vez mais, ser um momento para recordar as histórias de antigamente, com muito convívio e animação.
Depois de 16 anos de interregno, a 5ª edição da Festa do Barquense voltou a confirmar o sucesso da iniciativa e a vontade de a fazer regressar no próximo ano.

Stand do Produtos da Casa do Sal da Figueira da Foz na 6ª Feira Internacional do Sal de Aveiro 2011

Degustação das Tapas Casa do Sal

Para fazer chá numa "chaleira" solar, por Celestino Ruivo | 6ª Feira Internacional de Sal de Aveiro | Espaço da Casa do Sal da Figueira da Foz

 Celestino Ruivo apresentou esta maneira de fazer chá com a energia solar.
A "chaleira" veio da Malásia.

Um forno solar de Celestino Ruivo

Espaço Casa do Sal da Figueira da Foz na 6ª Feira do Sal de Aveiro: pinturas de Giulia Cavallo e Teia de Crochet


Numa parceria com a Casa da Esquina a Casa do Sal da Figueira da Foz apresentou um espaço com pinturas de Giulia Cavallo.

No teto do stand estava montada uma teia feita de crochet do Clube de Crochet e Tricot da Casa da Esquina

 Fotos de Filipa Alves

 

domingo, 17 de julho de 2011

Visita da Associação "Formiga Rabina" à Casa do Sal da Figueira da Foz: experiências sensoriais nas salinas

 Caminhando sobre os  limos fofinhos
Com cuidado para não escorregar
 Caminhando sobre o sal
  Caminhando sobre o sal
   O sal a seus pés
 A sensação de estar sobre o sal
 Tentando colher flor de sal

sábado, 16 de julho de 2011

Adelaide Chichorro, da Quercus Coimbra, protesta contra o encerramento dos CTT da Alta de Coimbra

O Cineeco, de Seia, na Salina Municipal da Figueira da Foz (Portugal): 6, 17 e 26 de Agosto de 2011

Ecomuseu do Sal da Figueira da Foz (Portugal): fechadura de madeira tradicional nos armazéns das Salinas da Figueira da Foz

No Mercado Municipal da Figueira da Foz, a Loja nº 31 também vende os sais da Casa do Sal da Figueira da Foz

Cristina, animadora do Ecomuseu do Sal da Figueira da Foz, a preparar os talhosde cristalização destinados aos visitantes



quarta-feira, 13 de julho de 2011

Na exploração agrícola biológica da Ti Predciosa, em Penacova, Portugal

Horários de Verão do Ecomuseu do Sal da Figueira da Foz

Horário

VerãoInverno
1 de maio a 15 de setembro
quarta-feira a domingo / feriados:
10h30 às 12h30 / 14h30 às 18h45
Encerra às segundas e terças.
16 de setembro a 30 de abril
quinta-feira a domingo / feriados:
10h00 às 12h30 / 14h00 às 16h00
Encerra às segundas, terças e quartas.

Encerra nos feriados de: 1 de Janeiro, domingo de Páscoa, 1 de maio, 24 de junho e 25 de dezembro.

Entradas:
Crianças até 12 anos e adultos com mais de 65 anos - Gratuito
Adultos - 1€
Bilhete Família (mínimo 3 visitantes) – 2€
Visita de grupo (até 15 visitantes – 10€ | superior a 15 visitantes e em múltiplos de 15 visitantes – 10€/por múltiplo)

Localização

Armazéns de Lavos
Salina Municipal do Corredor da Cobra

Coordenadas GPS
40° 6’42.5627”N8°49’59.7034”W

Contactos
TEL.: 233 402 840
TELEMOVEL: 966 344 488
E-MAILnucleo.sal@cm-figfoz.pt ou sonia.pinto@cm-figfoz.pt

Visitas Guiadas a grupos 
Sujeitas a marcação prévia:
TEL.: Núcleo Museológico do Sal – 966 344 488;
E-MAILnucleo.sal@cm-figfoz.pt | sonia.pinto@cm-figfoz.pt


  Mais informações: clicar

domingo, 10 de julho de 2011

Foto da participação da Casa do Sal da Figueira da Foz na 6ª Feira de Sal de Aveiro: 2º dia

Degustações

A Casa do Sal apresentou para degustação, em parceria com a Olga Cavaleiro de Tentúgal

  • Brigadeiros com flor de sal
  • Pasteis de Tentúgal vegetarianos, com legumes e cogumelos
No 2º dia da Feira de Sal também foram oferecidas aos visitantes  cerca de 200 tapas Casa do Sal.

O queijo de ovelha e cabra do Delmino do Rabaçal, Penela, fi outra iguaria presente na Feira. Este queijo é banhado com um tempero Casa do Sal feito com flor de sal, alho, orégãos, alecrim e piripiri. É um queijo sem casca.






video

Restaurante "Casa do Caracol" em Aveiro, Portugal