segunda-feira, 8 de março de 2010

ARH do centro: Recuperação das salinas começa terça-feira | Diário de Coimbra |por Manuela Varela

A Administração da Região Hidrográfica (ARH) do Centro analisou a situação e foi célere a decidir: as obras de recuperação das margens de protecção das salinas da Figueira da Foz começam terça-feira.

A ARH do Centro foi alertada para a situação, na quarta-feira, pelo presidente da Câmara da Figueira da Foz, Ataíde das Neves, que se deslocou àquela zona do salgado, a Sul do concelho, como oportunamente noticiámos, e constatou “in loco” o problema. De acordo com a ARH do Centro, após terem tomado conhecimento da situação, os técnicos daquele instituto público deslocaram-se também ao local, para se inteirarem da situação. Ainda na quinta-feira, refere uma nota à Imprensa ontem emitida, ao final da tarde, pela ARH do Centro, decorreu «uma reunião entre o presidente da Câmara Municipal da Figueira da Foz e a presidente da Administração da Região Hidrográfica do Centro, Teresa Fidelis, na qual se procurou definir a estratégia a seguir, considerando a necessidade de uma rápida resolução do problema, face aos riscos evidentes».

O encontro entre Ataíde das Neves e Teresa Fidelis deixou ainda definida a intervenção a realizar por parte daquele organismo, «estando previsto que os trabalhos se iniciem na próxima terça-feira», refere ainda o documento.

Uma tomada de posição que reflecte a vontade de «actuar de forma célere», expressa por Teresa Fidelis, «sempre que esteja em risco a salvaguarda de pessoas e bens», «contribuindo assim para minimizar o impacto destes fenómenos», diz ainda a presidente da ARH do Centro.

E, efectivamente, a intervenção daquele organismo revela-se urgente, uma vez que o rombo verificado numa das margens (mota) de protecção das salinas, põe em causa a «produção de sal da próxima época».

Foi, de resto, esta preocupação que os proprietários das salinas manifestaram ao presidente da autarquia, que se deslocou ao local acompanhado pelo vereador do ambiente e pelo presidente da Junta de Freguesia de Lavos. Em causa está uma zona de salgado, localizada a Sul do concelho, com cerca de uma dezena de salinas que garantem uma produção média de 900 toneladas de sal por ano. Mas, para além de ameaçar “afundar” as marinhas, como dizia António Planeta, a força da água praticamente destruiu os separadores e caminhos das salinas e afectou a produção agrícola, obrigando a «soltar o gado», para evitar que morresse afogado.

Esta intervenção da ARH do Centro, para além de resolver os problemas que afectam as salinas do Morros Compridos, Eiras Largas, Vermelhita, Vermelha, Boca d´Aveia, entre outras, certamente evitará, também, que outras marinhas sejam afectadas.

A intervenção prevista pela ARH do Centro para reabilitar a estrutura de protecção da margem consiste na «colocação de estacaria e reposição de terra», de forma a garantir a «manutenção da defesa natural das salinas da invasão das águas».


Fonte: Diário de Coimbra de 6 de Março de 2010

Sem comentários: